Como se auto esquecer

Jura que ainda vem tentando?

“Quero esquecer tudo que aconteceu até agora e começar do zero. Tanta coisa trágica tem acontecido que, talvez, o melhor remédio para essa dor contínua seja o esquecimento. A amnésia. Não seria bem melhor?”

Tudo bem. O que passou, passou! Coloquemos nossos olhos no futuro e somente nele. Ignoremos o passado e “bola pra frente”. Construiremos coisas novas, momento novos e poderemos ser quem quisermos. Lembrar do passado? Para quê saudosismo? Lamentando o que passou… Excluir tudo o que até agora vivi. Chega um momento que me sinto ao léu. O que sou eu? Ou melhor, quem sou?

Me vejo vivendo diariamente, cumprindo meus afazeres metodicamente. Só isso. Amanhã tenho que fazer muitas outras coisas. Depois de amanhã também. Para mês que vem tenho alguns planos e prazos. Assim vou vivendo até chegar em pequenos objetivos e realizações que necessariamente não são meus mas concebidos em um vasto contexto ao qual pertenço.

Do meu passado, de fato, não quero lembrar. É doloroso recordar, sabe? Meu marido me traiu, assaltaram minha casa, meus filhos reprovaram, me demitiram de um emprego que estou a 20 anos, uma gravidez indesejada, minha esposa está com câncer, não tenho dinheiro para alimentar minha enorme família… É duro recordar.

Nessa negação contínua de “não querer lembrar” já é o constante lembrete mesmo sem proferir os motivos. Você sabe que recorda e mesmo assim se nega.

Pensar no extremo é fácil para quem quer negar algo. Ignorar o próprio passado? As próprias lembranças que lhe construíram? Para quê recordar de algo que formou o ser humano que agora sou? Da vida a gente leva lembranças sejam elas boas ou ruim.

Não esqueça de quando foi feliz. Não se esqueça das conquistas que obteve. Lembre-se: “Eu não tenho um corpo. Eu sou o corpo”, como disse Merleau-Ponty. Quando você entender isso, saberá que o que te faz realmente são todas as coisas reunidas que acabaram por te formar.

Você gosta de si mesmo? E odeia lembrar a ponto de querer esquecer que seu pai faleceu mês passado? Tem certeza? Nietzsche diz o seguinte: “O que não me mata me fortalece”.. Que bom que você está vivo lendo essa pequena reflexão.

São os acontecimentos e as memórias que lhe formam. Foram por causa deles que você caiu do pé, talvez. E sabe? Não contrario sobre pensar no futuro e almejar sempre mais, mas também não ignoro de que o momento em que vivemos é precioso demais. Descartar o passado só porque ele ficou para trás é rejeitar sua própria existência.

Você esquece de si mesmo.

E esquece para onde vai…

 

Comentários

-->

Leia também

A lógica da vassoura? Já está batida

E olha que independe das cerdas...